cronograma do esocial

Cronograma eSocial: 5 Fases de Implantação em 2018

Algumas regras do cronograma eSocial em 2018 já estão valendo. Confira a o calendário completo a ser implantado pelas empresas de alto faturamento
 
O eSocial passou a ser obrigatório para empresas com faturamento superior a R$ 78 milhões por ano. A medida vem sendo anunciada há um bom tempo, para as empresas agilizarem os processos de adequação ao eSocial.
 
Para essas empresas, a obrigatoriedade ao eSocial já começou a impactar as rotinas de quem precisa enviar as informações obrigatórias ao Governo Federal. Visto que já está em vigor desde 1º de janeiro de 2018.
 
O novo cronograma eSocial 2018 apresenta como deve ser a implantação das 5 fases de implantação ao eSocial. É preciso ficar atento aos prazos para as empresas não ficarem sujeitas a penalidades e multas.
 
A fim de não sobrecarregar os departamentos de recursos humanos, jurídicos, financeiros e contábeis, o governo estipulou prazos para implantar a medida. Dê uma olhada nos prazos e fases do cronograma eSocial.

etapas do cronograma esocial

Como estão separadas as etapas do cronograma eSocial

As etapas do eSocial, comunicadas em outubro de 2017, foram separadas em 3 grupos:
  • Empresas privadas com faturamento superior a R$ 78 milhões
  • Demais empresas privadas (micro, pequenas, médias e MEI)
  • Instituições públicas.
Estima-se que quando o eSocial estiver completamente implementado, o eSocial reunirá mais de 44 milhões de informações de trabalhadores do setor público e privado, unificados em um único sistema.
É muito importante estar atento a implantação do eSocial. As empresas que não enviarem as informações obrigatórias estarão sujeitas a multas e aplicação de penalidades.
 
Se sua empresa não se adequou ao eSocial, é vantajoso implantar um sistema que automatize o envio das informações trabalhistas, previdenciárias e fiscais; realize a gestão, consultoria para organizar e reorganizar os sistemas da instituição e integre os serviços.

implantação do cronograma eSocial nas empresas

Fases de implantação do eSocial nas empresas

Para não sobrecarregar as empresas e evitar diversos tipos de confusões ocasionais que possam surgir durante a implantação do eSocial, o Governo separou em etapas e fases tudo que deve ser enviado ao eSocial.

Conheça o que deve ser informado em cada uma das fases do cronograma eSocial para empresas que possuem alto faturamento anual.

Primeira etapa – Empresas com faturamento anual superior a R$ 78 milhões

Fase 1 – janeiro de 2018: somente informações relacionadas às empresas, como cadastros do empregador e tabelas.

Fase 2 – março de 2018: envio obrigatório das informações relativas aos trabalhadores e seus vínculos com as empresas (eventos não periódicos), como admissões, desligamentos e afastamentos.

Fase 3 – maio de 2018: o envio das folhas de pagamento torna-se obrigatório.

Fase 4 – julho de 2018: substituição da GFIP (Guia de Informações à Previdência Social) e compensação cruzada.

Fase 5 – janeiro de 2019: nesta última fase, devem ser enviados os dados de segurança e saúde do trabalhador, ou seja, obrigatório o envio do exame admissional.

Calendário vermelho para o cronograma do eSocial

Mudança no cronograma do eSocial

Recentemente, o Comitê Diretivo do eSocial divulgou uma alteração que define novos prazos para envio dos eventos ao eSocial. A medida impacta principalmente os órgãos públicos e MEI (Microempreendedor Individual). De acordo com a nota, o intuito da mudança é aperfeiçoar o processo de implantação do sistema.

A primeira etapa concluída do eSocial, que envolvia empresas com faturamento superior a R$ 78 milhões, possibilitou realizar um amplo diagnóstico das instituições e pontuar as dificuldades enfrentadas para adequar seus sistemas e seus processos ao novo modelo.

Se a sua empresa já está transmitindo todos os eventos para o eSocial – exceto de SST, previsto para iniciar a partir de julho de 2019 – não haverá alterações.

Empresas do 2º grupo pertencentes ao cronograma anterior foram divididas em dois novos grupos. O primeiro será para entidades optantes pelo Simples Nacional, empregadores pessoa física e entidades sem fins lucrativas. O segundo para empresas com faturamento de até R$ 78 milhões referente ao ano de 2016.

Confira os detalhes da mudança do cronograma e comunique os responsáveis do seu setor.

1º Grupo – entidades empresariais com faturamento no ano de 2016 acima de R$ 78 milhões

  • Tabelas: 08/01/2018
  • Não periódicos: 01/03/2018
  • Periódicos: 08/05/2018 (dados desde o dia 1º)
  • Substituição GFIP para Contribuições Previdenciárias: agosto/2018
  • Substituição GFIP FGTS: novembro/2018
  • SST: julho/2019

2º Grupo – Entidades empresariais com faturamento no ano de 2016 de até R$ 78 milhões e que não sejam optantes pelo Simples Nacional:

  • Tabelas: 16/07/2018
  • Não periódicos: 10/10/2018
  • Periódicos: 10/01/2019 (dados desde o dia 1º)
  • Substituição GFIP para Contribuições Previdenciárias: abril/2019
  • Substituição GFIP FGTS: abril/2019
  • SST: janeiro/2020

3º Grupo – Empregadores optantes pelo Simples Nacional, empregadores pessoa física (exceto doméstico), produtor rural PF e entidades sem fins lucrativos.

  • Tabelas: 10/01/2019
  • Não periódicos: 10/04/2019
  • Periódicos: 10/07/2019 (dados desde o dia 1º)
  • Substituição GFIP para Contribuições Previdenciárias: outubro/2019
  • Substituição GFIP FGTS: outubro/2019
  • SST: julho/2020

4º Grupo –  entes públicos e organizações internacionais:

  • Tabelas: janeiro/2020
  • Não periódicos: Resolução específica, a ser publicada
  • Periódicos: Resolução específica, a ser publicada
  • Substituição GFIP para Contribuições Previdenciárias: Resolução específica, a ser publicada
  • Substituição GFIP FGTS: Circular CAIXA específica
  • SST: janeiro/2021

 

próximas etapas do cronograma esocial 2018

E agora, quais serão as próximas etapas do cronograma eSocial?

A partir do mês de julho de 2018, o eSocial inicia a segunda etapa de implantação do programa, sendo esta já destinada a todos os demais empregadores privados do país, incluindo micro, pequenas e médias empresas e MEIs.

O processo de incorporação também acontecerá de forma escalonada, ou seja, entre os meses de julho, setembro e novembro de 2018 e janeiro de 2019, quando o cronograma eSocial já deve estar bem adequado às empresas. Já para instituições dos setores públicos, o processo de implantação ao eSocial começa em janeiro de 2019 e segue até julho do ano que vem.

Uma vez que o eSocial estiver operando completamente no Brasil, substituirá até 15 prestações de informações ao governo – como CAGED, RAIS, DIRF e GFIP. Sendo unificada em apenas um único processo de envio. De modo que reduza custos, processos e tempo.

Para mais informações sobre o que é eSocial e quais os benefícios ele trará para sua empresa, confira nosso post que explica detalhadamente como ele atuará no Brasil.

Gostou? Não esqueça de compartilha este post em suas redes sociais. Acompanhe mais informações sobre o eSocial em nossa página do Facebook e LinkedIn. Até a próxima!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *